Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo premia dissertação defendida na FACOM

Publicado em: 22-09-2020

A Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) anunciou como vencedor do prêmio Adelmo Genro Filho, na categoria dissertação, o jornalista e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas Alexandro Mota da Silva. O trabalho premiado de título “Jornalismo Live Streaming: um estudo das apropriações jornalísticas da tecnologia de transmissão audiovisual ao vivo no Facebook” é fruto da pesquisa desenvolvida por Alexandro durante o mestrado no PósCom (UFBA) entre 2017 e 2019. 

O pesquisador se diz contente com o resultado da premiação. “Confesso que eu fiquei muito feliz com o prêmio. De alguma forma, é parte de uma resposta para as minhas inseguranças e inquietações de quando resolvi dar uma guinada na carreira como jornalista para trilhar um caminho acadêmico”, explica Alexandro.

Hoje integrante do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line (GJOL), Alexandro iniciou sua trajetória em Comunicação na FACOM com a graduação em Jornalismo, iniciada em 2009. Na graduação, realizou estágios nas áreas de assessoria de comunicação e redação jornalística. Foi em 2015, no entanto, que voltou seu olhar para o universo da pesquisa. “Em algum momento da carreira, comecei a sentir falta da FACOM. Sentia falta de debater e discutir a prática jornalística, de estudar. Retornei à faculdade em 2015, como aluno especial do PósCom e, quando eu vi, estava na lista de alunos regulares aprovados para o mestrado”, relata. 

A partir de então, a vontade de pesquisar só aumentou. “Fui movido pela possibilidade de exercer uma profissão com uma progressão de carreira mais bem definida e pela possibilidade de dar aula. Eu aprendi a gostar de pesquisar, hoje sou apaixonado por questões de metodologia, mas o ensino me atraiu mais”, afirma. A experiência como professor substituto na Faculdade de Comunicação, ministrando as disciplinas Oficina de Jornalismo Impresso e Temas Especiais em Jornalismo, só confirmou isso.

Alexandro espera que sua vivência estimule pesquisadores iniciantes. “Sou filho de pais que não tiveram acesso à educação, mas que tiveram condições de me oferecer o básico para estudar. Esse reconhecimento significa muito pra mim e, se ele for capaz de motivar pesquisadores iniciantes ou pessoas que venham, como eu, da escola pública e de comunidades humildes, isso vai me deixar ainda mais honrado”, completa.

Alexandro Mota com a versão impressa da sua dissertação (Arquivo pessoal)

Jornalismo Live Streaming

A pesquisa de Alexandro contou com orientação do professor Marcos Palacios e teve como objeto de estudo o Jornalismo Live Streaming, prática do Jornalismo que utiliza tecnologias de gravação e transmissão em tempo real na produção noticiosa. A aprovação da dissertação foi concedida em maio de 2019, após a apresentação do trabalho à banca composta pela professora Juliana Gutmann (FACOM) e pelos professores Washington de Souza Filho (FACOM) e Fernando Firmino da Silva (UFPB e UEPB).

“Na pesquisa eu ressalto que Jornalismo Live Streaming não é um conceito ou um tipo de Jornalismo, antes é uma ideia que funciona como marco de um momento das condições sociotécnicas de produção e distribuição, que, de algum modo, potencializam vocações e aspirações da prática jornalística que já existiam em outros momentos”, explica Alexandro. O termo é o título de um artigo do professor Fernando Firmino, apresentado no encontro da SBPJor em 2008. “Nessa prática, o repórter apura e transmite essa informação para a redação, que atualiza outros textos com esse ‘retorno ao vivo’. Ao mesmo tempo, aquele conteúdo é consumido pelos usuários da rede, que potencialmente podem participar e até alterar aquilo que está sendo feito ao vivo”, explica o pesquisador. 

Alexandro conduziu um mapeamento nacional com 215 páginas do Facebook de veículos jornalístico, levantando metadados de mais de 235 mil vídeos. “A partir disso, conseguimos identificar como se deu a dinâmica e o crescimento das lives pelos veículos brasileiros, alcançando pelo menos 81% das redações. Identificamos que as lives mobilizam em média cinco vezes mais comentários que os vídeos gravados nas páginas desses veículos, além de elencar uma série de características próprias da narrativa das lives, como uma constante negociação de aspectos da qualidade técnica da transmissão entre o jornalista e o seu público”. 

A pesquisa completa realizada por Alexandre Mota, com a orientação do professor Marcos Palacios, pode ser conferida no Repositório Institucional da UFBA

Congresso Intercom 2020

A realização do 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2020) foi confirmada para o ano de 2020. A edição nacional deste ano será realizada de 1º a 10 de dezembro em formato virtual, com o apoio institucional da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esta é a primeira vez na história do congresso que ele será virtual, decisão tomada diante dos desafios impostos pela pandemia de covid-19 que inviabiliza a reunião presencial de milhares de pessoas.

O evento contará com uma programação composta por mesas-redondas, oficinas, minicursos, apresentações de trabalhos e festa online de premiação. A programação completa pode ser conferida no site da Intercom

Congresso Intercom 2020

A realização do 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2020) foi confirmada para o ano de 2020. A edição nacional deste ano será realizada de 1º a 10 de dezembro em formato virtual, com o apoio institucional da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esta é a primeira vez na história do congresso que ele será virtual, decisão tomada diante dos desafios impostos pela pandemia de covid-19 que inviabiliza a reunião presencial de milhares de pessoas.

O evento contará com uma programação composta por mesas-redondas, oficinas, minicursos, apresentações de trabalhos e festa online de premiação. A programação completa pode ser conferida no site da Intercom

Congresso Intercom 2020

A realização do 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2020) foi confirmada para o ano de 2020. A edição nacional deste ano será realizada de 1º a 10 de dezembro em formato virtual, com o apoio institucional da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esta é a primeira vez na história do congresso que ele será virtual, decisão tomada diante dos desafios impostos pela pandemia de covid-19 que inviabiliza a reunião presencial de milhares de pessoas.

O evento contará com uma programação composta por mesas-redondas, oficinas, minicursos, apresentações de trabalhos e festa online de premiação. A programação completa pode ser conferida no site da Intercom

Congresso Intercom 2020

A realização do 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2020) foi confirmada para o ano de 2020. A edição nacional deste ano será realizada de 1º a 10 de dezembro em formato virtual, com o apoio institucional da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esta é a primeira vez na história do congresso que ele será virtual, decisão tomada diante dos desafios impostos pela pandemia de covid-19 que inviabiliza a reunião presencial de milhares de pessoas.

O evento contará com uma programação composta por mesas-redondas, oficinas, minicursos, apresentações de trabalhos e festa online de premiação. A programação completa pode ser conferida no site da Intercom