Avaliação da CAPES revela nível de excelência do Programa de Pós-graduação da FACOM 

Publicado em: 14-09-2022

O Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da FACOM/UFBA (PósCom/UFBA) teve desempenho considerado excelente em avaliação periódica realizada pela CAPES — Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Em avaliação quadrienal referente ao período de 2017 a 2020, o programa foi avaliado com nota 6, conceito que expressa a excelência do programa a nível internacional.  

O PósCom até então mantinha a nota 5, conceito “muito bom” e nota máxima para PPGs que ofertam apenas turmas de mestrado. O parâmetro já era considerado de excelência, uma vez que apenas a partir da edição de 2007/2009 foram introduzidos os conceitos 6 e 7. Esses últimos conceitos são reservados para programas nota 5 que apresentam desempenho diferenciado em relação aos demais programas da área no que se refere à formação de doutores e à produção intelectual e desempenho equivalente ao dos centros internacionais de excelência na área. 

Segundo o coordenador do Colegiado do PósCom, Wilson Gomes, a nota reflete, além da qualidade acadêmica, o impacto internacional do programa. “Nós cumprimos todos os requisitos de um curso excelente com alta qualidade em pesquisa, mas para além disso demonstramos possuir uma grande capacidade de internacionalização”, destacou o professor. “A nota 6 revela que temos interação com outros países e outros grupos de pesquisa de mesmo nível, com um impacto na sociedade, mas sobretudo nas redes internacionais”, completou Wilson.

Os cursos avaliados pela CAPES recebem uma nota final em uma escala de 1 a 7, baseados em conceitos que variam de insuficiente a muito bom. A avaliação, além de ser critério para a renovação do reconhecimento de cursos de mestrado e doutorado, também funciona como referência para a distribuição de bolsas e recursos para o fomento à pesquisa. “Quando você sobe para o patamar 6 e 7, o recurso aumenta e também a gestão desse recurso modifica. O programa passa a ter maior autonomia na gestão”, explica o coordenador.

Para Michelle Almeida, secretária do colegiado do PósCom, o resultado reflete também o empenho em colocar em evidência toda a produção intelectual, técnica e artística, de docentes, discentes e egressos do programa, ao longo desses quatro anos de avaliação. A aferição exigiu um trabalho minucioso da técnica-administrativa, responsável em grande parte pela coleta e inserção de dados na plataforma da CAPES em conjunto com uma comissão formada por alunas/os e professoras/es. “Foi uma alegria muito grande para o programa, após um trabalho árduo de coleta criteriosa, alcançar essa nota maior. Isso implica em maior verba, maior número de bolsas, algo necessário para que o programa continue funcionando bem”, explica Michelle. 

Dentre as informações apresentadas nos relatórios fornecidos à CAPES, aponta Michelle Almeida, estão dados sobre produção em pesquisa de cada docente, discente e egresso, integração dos grupos de pesquisa com a graduação, impacto do programa na sociedade em quesitos como inovação e impacto econômico, cultural e social, além da colaboração em projetos de relevância nacional e internacional. Também são fornecidos e avaliados dados sobre a trajetória profissional dos mestres e doutores formados no período.