Índice

Introdução
O Jornalismo na
Era Digital
O Jornal como Metáfora
Produzindo uma Publicação Digital
O Planejamento
O Design
O Layout
Hipertexto
Multimídia
Animações
Interatividade
O E-mail
Notícias
Personalizadas
Notícias Personalizadas II
A Estrutura
Comercial
Classificados Online
Micropagamentos
por Conteúdo
O Fim do Jornal Impresso?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


manta@ufba.br
Mande um e-mail !
Design by André Manta
Última atualização:
Outubro de 1997

A Estrutura Comercial nos Serviços Online

A situação atual da grande maioria das companhias jornalísticas na Internet é de prejuízo em seus empreendimentos online. Os investimentos ainda são muito recentes e, somado a isto, não existe um modelo definido de geração de receitas para os sites de publicações digitais na Web. O crescimento do número de empreendimentos online por parte dos empresários da área de jornalismo se deve muito mais a razões de planejamento operacional do que a um aumento nos lucros.

Alguns editores e dirigentes de grandes grupos editoriais sabem que o mercado da Internet está em processo de consolidação e que a longo prazo promete ser bastante lucrativo, mas ainda há muito o que experimentar até se chegar a fórmulas definitivas de ganho real de capital com serviços online. Já se sabe, por exemplo, que os internautas não estão dispostos a pagar para acessar versões digitais de jornais e revistas na Web. A Internet notabilizou-se pelo seu caráter anárquico e democrático e a crença de que a informação deve ser livre ainda predomina entre muitos usuários.

De acordo com Steve Outing, cobrar o acesso a um jornal online pode parecer natural à maioria dos editores, mas isto pode afugentar as pessoas. Se para entrar no site do New York Times o leitor tem que pagar uma taxa de 35 dólares por mês, ele pode simplesmente escolher outro jornal ao qual o acesso seja livre. De acordo com Outing, a solução é disponibilizar gratuitamente as notícias e cobrar apenas por serviços especiais, como consulta a banco de dados ou a classificados online ¹.

O modelo que melhor se adaptou até agora ao mercado jornalístico na Internet é compensar os gastos com serviços online gratuitos através das receitas geradas pela veiculação de anúncios publicitários. Atualmente, a publicidade é a principal fonte de renda das publicações digitais na rede. Segundo a Jupiter Communications, empresa de pesquisa de mercado de Nova York, as verbas publicitárias na Internet devem somar um total de 1,1 bilhão de dólares até o final deste ano, contra os 301 milhões de dólares alcançados em 1996. No Brasil, foi investido 1,2 milhão de dólares no ano passado e embora não existam previsões para 1997, o crescimento deverá ser proporcional ao resto do mundo ².

Este aumento no faturamento com publicidade na rede demonstra que os publicitários estão cada vez mais convencidos do potencial da Internet enquanto meio de comunicação eficaz, capaz de atingir um número cada vez maior de consumidores. Como conseqüência disso, são produzidos anúncios mais criativos que despertam a atenção e o interesse do usuário (os banners animados, por exemplo, já representam a maioria das propagandas veiculada em publicações digitais). Cria-se, assim, uma relação benéfica de interdependência: os anúncios mais bem elaborados dão melhores resultados, as agências de publicidade se sentem estimuladas a anunciar mais, os sites jornalísticos aumentam suas receitas, melhoram os seus serviços e atraem mais consumidores.


¹ OUTING, Steve – "Newspapers on the Internet: Lessons They Are Learning". In http://www.mediainfo.com:80/ephome/news/newshtm/stop/stop326.htm.

² BAUER, Marcelo – "Anúncio na Web funciona. Basta saber fazer." In Informática Exame Online, Conexão Internet, Junho de 1997 (http://www.uol.com.br/info/cx130697.html).


Guia do Jornalismo | Bibliografia Online | Jornais na Web | Links Úteis